Os aviões do futuro


Pouca gente sabe, mas a NASA não trabalha só na exploração do espaço: sua sigla em inglês significa Administração Nacional da Aeronáutica e do Espaço. Por isso, a agência contribui para desenvolver aviões mais seguros, mais rápidos e mais eficientes. Abaixo 10 modelos que podem surgir nos céus em alguns anos:


1 - O conceito “Icon-II”, criado pela Boeing para a NASA, é um avião supersônico que reduz o estrondo sônico para poder operar em áreas civis. Ele também possui um design que reduz o consumo de combustível. Ele poderia entrar em serviço no período 2030-2035.

http://gizmodo.uol.com.br/wp-content/blogs.dir/8/files/2014/12/Avioes-futuristas-da-NASA-1.jpg

2 - Conceito de uma aeronave que poderia voar a velocidades supersônicas está sendo usado por pesquisadores, especialmente da NASA, para testar ideias de como reduzir o estrondo sônico. Suas tecnologias – o sistema de propulsão, a cauda e o formato em geral – se combinam para gerar um estrondo sônico com menos decibéis.

http://gizmodo.uol.com.br/wp-content/blogs.dir/8/files/2014/12/Avioes-futuristas-da-NASA-10.jpg

3 - Para voar a velocidades supersônicas sobre áreas civis, é preciso reduzir o nível de estrondo sônico. A NASA vem explorando uma variedade de opções; esta renderização de um possível transporte supersônico civil mostra um veículo com um formato que reduz o ruído e também o arrasto.

http://gizmodo.uol.com.br/wp-content/blogs.dir/8/files/2014/12/Avioes-futuristas-da-NASA-7.jpg

4 - Este design futurista para uma aeronave supersônica foi feito pela Lockheed Martin. Este é um bom exemplo de como as simulações e testes em túnel de vento geram dados que permitem melhorar um design para atingir seus objetivos. No caso, a meta é produzir um estrondo sônico de nível mais baixo e reduzir as emissões do combustível

http://gizmodo.uol.com.br/wp-content/blogs.dir/8/files/2014/12/Avioes-futuristas-da-NASA-2.jpg

5 - Conceito da Lockheed Martin propõe um design fechado para a asa, que agora é viável graças a compósitos leves e outros avanços. A turbina da Rolls Royce alcança uma taxa de contorno (fluxo de ar ao redor da turbina em relação ao que passa por ela) quase cinco vezes maior do que nos modelos atuais, maximizando sua eficiência.

http://gizmodo.uol.com.br/wp-content/blogs.dir/8/files/2014/12/Avioes-futuristas-da-NASA-5.jpg

6 - Conceito mostra um possível avião subsônico com um design de asa fechada, que reduz o arrasto e aumenta a eficiência de combustível. Ele faz parte de uma série de designs sendo explorados pela NASA com pesquisadores da indústria e das universidades, e poderia se tornar realidade na década de 2020.

http://gizmodo.uol.com.br/wp-content/blogs.dir/8/files/2014/12/Avioes-futuristas-da-NASA-8.jpg

7 - Conceito da Northrop Grumman é baseado no design extremamente aerodinâmico de uma “asa voadora” militar. As quatro turbinas Rolls Royce ficam na superfície superior da asa para atingir blindagem máxima contra ruído.

http://gizmodo.uol.com.br/wp-content/blogs.dir/8/files/2014/12/Avioes-futuristas-da-NASA-6.jpg

8 -  O conceito chamado de “N3-X”, tem um corpo com asa híbrida, deixando-o extremamente aerodinâmico. Ele também usaria uma série de motores elétricos supercondutores, permitindo reduções drásticas no consumo de combustível, ruído e emissões

http://gizmodo.uol.com.br/wp-content/blogs.dir/8/files/2014/12/Avioes-futuristas-da-NASA-3.jpg

9 - Um design preliminar da NASA para uma aeronave supersônica que gere um estrondo sônico mais baixo, exibindo um corpo esbelto e asas diferenciadas

http://gizmodo.uol.com.br/wp-content/blogs.dir/8/files/2014/12/Avioes-futuristas-da-NASA-11.jpg

10 - Conceito de aeronave para voo supersônico vem da Lockheed Martin. A equipe utilizou ferramentas de simulação para mostrar que é possível reduzir drasticamente o nível do estrondo sônico usando-se uma configuração de “V invertido”. A NASA financia estudos para aviões supersônicos que poderiam entrar em serviço no período 2030-2035.

http://gizmodo.uol.com.br/wp-content/blogs.dir/8/files/2014/12/Avioes-futuristas-da-NASA-9.jpg

Fonte: http://gizmodo.uol.com.br