Cientistas geram energia a partir de fezes


Divulgação: Bateria movida a bactérias criada em Stanford
Uma equipe de cientistas da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, desenvolveu uma técnica para gerar energia a partir da atuação de bacterias na decomposição de matéria orgânica, como as fezes. A ideia da equipe é criar um dispositivo que possa ser usado em estações de tratamento de esgoto, gerando a energia necessária para o funcionamento das unidades.

Os cientistas de Stanford perceberam que as bactérias filamentosas exo eletrogênicas, que vivem em ambientes sem oxigênio, ao se alimentar de matéria orgânica decomposta, liberam uma grande quantidade de elétrons, produzindo "nano fios elétricos" naturalmente. A equipe chefiada por Yi Cui e Craig Criddle desenvolveu uma técnica para reunir esses elétrons dispersos usando filamentos de carbono e óxido de prata, o que resultou em uma bateria do tamanho de uma pilha grande.

Segundo os estudiosos, no futuro, uma bateria como essa poderá extrair até 30% de potencial energético a partir de esgotos. A técnica poderá ainda ser usada para limpeza de lagos e zonas costeiras poluídos. A equipe agora busca formas de baratear a produção de materias em tamanho maior, capazes de alimentar estações de tratamento.