Os carros que não deram certo

O MotorDream, junto com o parceiro editorial AutoCosmos, da Argentina, selecionou dez carros que tinham tudo para fazer grande sucesso, mas acabaram fracassando. E os motivos são diversos: falha na estratégia de marketing, mercado desfavorável no momento ou simplesmente pelo destino. Por isso MotorDream quer saber: qual dos carros que não deram certo merecia melhor sorte?

Confira abaixo a galeria com os dez concorrentes e deixe seu comentário!


Smart ForFour

O carrinho da Smart foi criado em 2004 com a intenção de ganhar o gosto popular e surpreender em vendas. No entanto, ele teve pouquíssima aceitação nos Estados Unidos, ao contrário do Smart For Two. Apesar da forte estratégia de marketing não se sabe o motivo do fracasso do ForFour, que foi produzido na Holanda ao lado do Mitsubishi Colt, com quem dividiu o chassis e suspensão.



Porsche 928 

Surgiu em 1977, com a ideia de substituir o 911, o que nunca conseguiu. Alguns motivos apontam para o mercado desfavorável da época, a insegurança da marca, entre outras hipóteses.  Esta verdadeira máquina tinha um motor V8 de 4,5 litros com 236 cv e transmissão de cinco velocidades. O 928 também surpreendeu a todos por sua linha arredondada, mas bastante agressivo.  



Renault Avantime

No ano de 2001 a Renault queria surpreender o mundo com sua minivan Avantime. Mas pouco tempo depois do lançamento, começaram os problemas, como falta de identidade, já que possuía um design moderno, mas esteticamente controverso. O resultado foi tão ruim que o Avantime vendeu apenas 8.000 unidades em dois anos. Especialistas dizem que a ousadia no estilo foi uma decisão imprudente dos proprietários. O modelo era baseado na plataforma do Espace e tinha uma estranha cabine de três portas, mas o espaço interno era surpreendente. O Avantime possuía um motor V6 de 3.0 L. Em maio de 2003, a Renault decidiu parar a produção da minivan pelas poucas vendas.



Chevrolet EV-1

O quarto candidato a ‘melhor entre os fracassados’ é o Chevrolet EV-1, o primeiro carro elétrico da história com desempenho bastante elogiado, bom espaço interior e de grande aceitação do público norte-americano. Mas a General Motors, sua criadora, o tirou das lojas sem piedade. Não havia nada de errado no estrutural, mas de acordo com a montadora, o veículo alcançou um alto custo político e econômico. Tudo baseado na mudança de uma lei de 1997, para carros híbridos, no estado da Califórnia.



Audi A2

Foi projetado para manter-se na linha A8, ou seja, um carro com excelente desempenho e alta eficiência, mas menor. O A2 foi lançado no Frankfurt Motor Show de 1997, a fim de concorrer com a Mercedes-Benz Classe A. este confronto, em teoria, parecia justo, mas o mercado foi cruel com o modelo da Audi e a diferença de vendas ficou assim: Mercedes Classe A com mais de um milhão de emplacamentos contra 175 mil do A2. responsável pela nuvem até A2 e humilhá-lo para fora da existência, a diferença foi de um milhão de unidades vendidas em comparação a 175 mil. 



Volkswagen Phaeton

O sedan Volkswagen Phaeton nunca conseguiu alcançar a glória, e não por suas próprias falhas, mas porque a concorrência era sempre difícil, já que tinha que brigar com o Audi A8, BMW Série 7 e Mercedes-Benz Classe S. Mesmo com tantos contras, o Phateon se manteve no mercado norte-americano e desde então os engenheiros do Grupo Volkswagen usam sua criatividade para manter este modelo legal competitivo na Europa. 



DeLorean DMC 12

O sétimo concorrente é o DeLorean DMC 12 que já brilhou   nos cinemas, como o protagonista da trilogia "De volta para o futuro". O modelo conta com motor V6 de injeção com design francês PRV-Peugeot, Renault e Volvo. Tudo começou para esse carro quando John DeLorean comprou a patente de uma nova tecnologia para o chassi chamado: Elastic Reservoir Moulding (ERM). Isto foi bom em dois ou três protótipos, mas foi um desastre para a produção em massa. O mesmo aconteceu com a direção e suspensão. O modelo foi lançado em 1981, mas em 1982 a DeLorean Motor Company faliu.



Mazda Speed6

Lançado no final de 2005, o MazdaSpeed6 era um sedan esportivo com aceleração e capacidade de manobra rápida, o mais avançado que a Mazda havia produzido. Com um único motor de quatro cilindros 2.3 litros de injeção direta turbo acoplado a uma transmissão manual de seis velocidades, este veículo tornou-se a novidade do momento.Mas em 2008 os engenheiros japoneses já tinha em mente uma engenharia revolucionária que mudaria o Mazda tornando o Speed6 desnecessário.



Tucker Torpedo 1948

O nono colocado é o enorme Tucker Torpedo, de 1948, que causou sensação na época, porque tinha componentes mecânicos inovadores: o veículo ganhou um quadro envelopado para dar proteção contra colisões, enquanto a caixa de direção foi instalada atrás do eixo dianteiro para proteger o condutor em caso de acidentes. O motor do Tucker original é um boxer de seis cilindros de 150 cv, mas foi substituído por um propulsor Franklin 5.5 litros refrigerado a ar e capaz de produzir 166 cv. O Torpedo chegou ao mercado com investimentos de bilhões de dólares, mas com um marketing ruim e vários problemas legais acabou deixado de lado. Dos 51 modelos produzidos, 47 permanecem intactos.



Pontiac Solstice

Por último temos o Pontiac Solstice, carro esportivo de dois lugares e produzido em 2006. Quando surgiu, logo recebeu três indicações para concorrer ao carro do ano, design do ano e melhor carro pela imprensa canadense. O Pontiac Solstice usou a plataforma Kappa GM, assim como o Saturn Sky e O Opel GT, entre outros. O modelo vinha disponível em dois motores, um 2.0 turbo Ecotec e outro 2.4 litros de quatro cilindros, além de uma potência máxima de 256 cv. Com um bom número de unidades vendidas, parecia que o carro seria sucesso, mas, em 2008, tudo se desfez. A crise econômica derrubou todos os planos de reestruturação da GM e exigiu o fechamento da fábrica em Wilmington, Delaware, em 2009.