Companhia biofarmacêutica desenvolve antídoto contra a exposição à radiação.


Você já deve ter lido sobre o que acontece quando somos expostos à radiação, não é mesmo? Dependendo da dose, o efeito pode até ser fatal.

Porém, de acordo com o site io9, já não precisamos mais temer um apocalipse nuclear, pois a companhia biofarmacêutica ONCONOVA parece ter desenvolvido um medicamento capaz de tratar o envenenamento pela radiação de forma bem eficiente.

Segundo a publicação, o medicamento em questão se chama Ex-RAD e funciona tanto se é administrado antes como depois da exposição à radiação. 

O “antídoto” foi testado em um grupo de ratinhos, que foram expostos a uma quantidade de radiação suficiente para matar a maioria dos seres no prazo de duas semanas. Os resultados mostraram um índice de sobrevivência de 88% entre os animais que receberam o medicamento.


Conforme explicou a ONCONOVA, o medicamento evita que o DNA exposto à radiação seja destruído, além de ajudar o material genético que já sofreu danos a se recuperar. Além disso, o Ex-RAD também impede a produção de uma proteína específica responsável por provocar a morte celular. O medicamento está disponível na forma de pílula e injetável, e por questões de segurança ainda não foi testado em humanos.

Como evitar os efeitos da radiação e como entender quais os efeitos que eles causam no corpo humano?

Existe sim uma forma de se diferenciar os efeitos da radiação, sendo eles em curto e a longo prazo, mas antes de falarmos disto, vamos entender o que nos causam ou causariam estes efeitos. Algumas vezes somos expostos à radiação como forma de tratamento, ou até mesmo pesquisas medicinais, como no caso da radio terapia, radiografia (raio x). Há também perigos para aqueles que trabalham em usinas nucleares, pois ficam expostos integralmente à radiação, e já houveram casos onde um solo por completo chegou a ser contaminado, onde a usina precisou ser fechada, e as pessoas que desejam conhecer, ou necessitam visitar o local, precisam utilizar um traje especial.

Agora vamos entender, como conseguimos ser submetidos à radiação e mesmo assim não sofrer com isto. A radiação em curta escala, ou seja, de forma dosada, pode realizar tratamentos, e mesmo assim, em alguns casos, como o do cancêr, traz alguns efeitos colaterais, como a queda de cabelo, nauseas e a reducação de glóbulos brancos, isto ocorre pelo fato de a radiação possuir muita energia, o que provoca ionização, e eisto faz com que haja alterações moleculares, que podem causar diversos danos à celula, sendo que assim elas podem não se recuperar.



Porém, há casos, em que a exposição é exagerada, fazendo com que o corpo humano não resista, desta forma poderá causar além da perda de células, deformação destas, ou até mesmo à morte. Apesar de a radiação poder ser utilizada em tratamentos contra o cancêr, também pode gerar a possibilidade do surgimento desta doença em uma pessoa saudável.

Para administrar tratamentos a base de radiação é necessário muito conhecimento, estudo, e claro, preparação, afinal, quando uma mulher gestante necessita fazer um “raio x” para verificar uma fratura, ela não pode realizar este procedimento, pois o feto que esta em sua barriga ainda esta em formação, e estes raios, apesar de controlados, e poder ser utilizado de fato uma proteção, poderá causar danos irreparáveis ao bebê, ou seja, o mais indicado neste caso, apesar de ser inofensivo à mãe, é a utilização da ultrassonografia, para não causar danos à ninguém.


Fontes:

io9, PublMed, ONCONOVA Therapeutics
http://olharcurioso.com

Leia também:

Acidente Nuclear de Chernobyl