Fita cassete pode voltar e substituir o HD em armazenamento de dados

Acessório nostálgico é testado em miniatura e pode guardar até 35 TB.

(Fonte da imagem: Reprodução/Collection Discovery)
Quem viveu em meio às “avançadas” tecnologias da década de 1980 e 1990 certamente ouviu música a partir de uma fita cassete, uma das mídias mais clássicas de todos os tempos. Agora, anos depois de serem substituídas, elas podem ter uma sobrevida – e ser um dos melhores equipamentos na área de armazenamento de dados.

Pesquisadores da IBM e da Fujifilm já estão construindo protótipos de fitas que podem substituir o HD e armazenar até 35 TB em um cartucho de 10 x 10 x 2 centímetros. O alvo, entretanto, não é o consumidor casual, mas servidores que recebem uma alta quantidade de dados.

Como ainda está em fase de testes, o primeiro grande trabalho do “novo velho” equipamento será registrar o conteúdo colhido pelo maior telescópio via rádio do mundo, cujas antenas começam a operar em 2024.

Fora o baixo custo de produção em relação aos discos rígidos convencionais, o uso de fitas para guardar dados ainda faz com que o consumo de energia seja baixo – até 200 vezes menor, já que o aparelho não faz nenhum tipo de movimento enquanto dados não são armazenados.

Fonte: NewScientist