Centralia, a cidade condenada ao incêdio

Centralia: condenada a queimar eternamente

 Incidente da Mina de Carvão

Com carvão mineral em abundância, a atividade na mina era a principal fonte de renda da cidade. Até que em algum dia de 1962 um acidente em uma mina de carvão causou um enorme incêndio. O fogo se espalhou pela mina, que se estendia por quase todo o subsolo da cidade, liberando gases tóxicos por toda a cidade. Devido ao calor gerado, ocorreram inúmeros incêndios na cidade neste período. A população foi obrigada a abandonar a cidade para evitar doenças respiratórias, já que não haviam encontrado forma de conter o enorme incêndio. 


Além dos gases tóxicos, muitos outros perigos foram assustando os moradores de Centralia. O dono de um posto de gasolina fechou as portas em desespero após descobrir que a gasolina no tanque subterrâneo do posto estava com mais de 75 °C.

Em 1981, um garoto de 12 anos, caiu em um buraco que surgiu repentinamente sob seus pés, um amigo que estava próximo conseguiu segurar o garoto antes que ele afundasse totalmente no buraco de 450 metros de profundidade, onde ainda era possível ver as chamas no fundo. O garoto relatou que sentiu-se como se estivesse caindo no inferno.
Este acidente atraiu atenção nacional para o caso de Centralia, o congresso conseguiu mais de 400 milhões em recursos para o combate ao incêndio e restauração da cidade.
Em 2002 o estado da Pensilvânia clamou Domínio Eminente em todas as residências, condenando todas as casas e prédios da cidade.
Após os habitantes, o governo também abandonou o projeto de controle do incêndio da cidade, tendo em vista o seu altíssimo custo. Devido à grande quantidade de carvão mineral, o fogo continua queimando o subsolo da cidade até os dias de hoje, mais de 40 anos após o início. E de acordo com especialistas, o fogo poderá continuar ativo por, pelo menos, mais uns 500 anos.

Fonte:
http://expotun.wordpress.com