Grafeno pode transformar água salgada em potável


Filtro de grafeno extremamente fino deixa apenas que as moléculas de água passem, retendo todo o sal.



Não é de hoje que o grafeno tem se mostrado uma espécie de “supermaterial”, podendo ser aplicado nas mais diversas e loucas tecnologias – como em roupas eletrônicassemicondutores de altíssimo desempenho, destilação de vodka e até no desenvolvimento da invisibilidade. Conforme publicação do site PhysOrg, a mais nova capacidade desse elemento é transformar água salgada em potável.

Esse processo, criado por pesquisadores do Massachusetts Institute of Technology (MIT), consiste na transição da água salgada através de um filtro de grafeno extremamente fino, no qual somente as moléculas de água conseguem passar. Assim, o sal fica retido nesse filtro. A nova técnica apresenta resultados de pureza duas a três vezes melhores do que os métodos adotados atualmente.

O grafeno é uma forma de carbono, mas como material é algo completamente novo - não apenas o mais fino como o mais forte. Como condutor elétrico é tão bom como o cobre. Como condutor de calor ele supera todos os outros materiais conhecidos. É praticamente transparente mas ainda assim é tão denso que nem o hélio, o menor átomo de gás, consegue atravessá-lo. O grafeno é o material mais forte já demonstrado, consistindo em uma folha planar de átomos de carbono densamente compactados em uma grade de duas dimensões.
 
Pesquisadores revelaram um método de produção extremamente eficiente e barato. Aplicando a radiação laser de um gravador de DVD Lightscribe sob um filme de óxido de grafite produziu uma camada finíssima de grafeno, de alta qualidade e muito resistente, excelente para funcionar como capacitor ou semicondutor. 
 
Uma das aplicações mais recentes do grafeno foi a criação em laboratório de supercapacitores, que podem ser utilizados em baterias e carregam mil vezes mais rápido que as baterias de hoje em dia. Uma das aplicações mais recentes do grafeno foi a criação em laboratório de supercapacitores, que podem ser utilizados em baterias e carregam mil vezes mais rápido que as baterias de hoje em dia.


Fontes:
PhysOrg
http://nerdeletrico.blogspot.com.br
http://pt.wikipedia.org