Critica do novo filme do Homem Aranha: Filme x Quadrinhos


O que diriam os fãs dos quadrinhos? Filme tem imagens sensacionais em 3D e remete às HQs.







Para quem acompanhou e é fã das histórias em quadrinhos, vai notar que o filme, mesmo bem situado cronologicamente em relação aos gibis, não detalha e nem segue tudo o que foi escrito nas HQs: o filme remete a um período de tempo onde Peter Parker é um adolescente, vivendo aventuras no colégio ao mesmo tempo em que se transforma no espetacular Homem-aranha. 

Talvez por esse motivo, o filme não explora alguns personagens como, por exemplo, o ranzinza e chefe do Clarim Diário J.J. Jamenson e Joe Robertson. O filme mostra o implicante Flash Thompson, mas esquece do melhor amigo de Peter na escola: Harry Osborn, que na revista se envolve com drogas e que tem ligação direta com a morte de Gwen Stacy  (namorada de Peter) pelo seu pai, Norman Osborn como Duende Verde.

Lógico que a proposta do filme é bem diferente e tem que atingir o público que desconhece as origens do herói, mas que leu os primeiros quadrinhos do aracnídeo gostaria de ver mais cenas de Peter Parker com seus amigos e problemas na escola, mas pode ser que tudo isso e muito mais, fiquem pros próximos filmes.

    Andrew Garfield agradou por ter mais aparência
com Peter Parker e o homem aranha dos quadrinhos

O Peter Parker estudante do colegial interpretado por Andrew Garfield não é tão bobo como o Peter Parker dos gibis e dos outros três filmes (que mostra outra época de Peter e que não segue nenhuma ordem cronológica em relação aos quadrinhos) exibidos no cinema, estrelado por Tobey Maguire, mas continua o mesmo sujeito inteligente, enrolado e o atrasado estudante que não sabe lidar com situações difíceis, como sua aproximação da sua colega de classe, a bela Gwen Stacy. 


A Gwen Stacy do filme, embora em alguns momentos do longa não pareça uma garota de 17 anos, agrada bastante pela grande semelhança de Emma Stone com a personagem das revistas em quadrinhos criada por Steve Ditko e Stan Lee na decada de 1960. No filme a história entre a loira e Peter, talvez carecesse de um pouco mais de momentos no colégio, onde eles vivem um romance de estudantes adolescente ou mais partes juntos, como na cena onde Peter vai jantar na casa dos Stacy. Contudo a película mostra como a loira admira a inteligência do tímido rapaz magricela e como ela se apaixona por ele. 

Gwen Stacy é estagiária do Dr. Curt Connors.

Aliás, o grande acerto do novo filme está na loira, que aparece nos gibis muito antes de Mary Jane Watson. Gwendoline Stacy é o primeiro amor da vida de Peter. Nos quadrinhos, a morte de Gwen Stacy comoveu e dividiu a opinião de milhares de fãs e é uma das histórias mais tristes e trágicas do herói, e só depois da sua morte é que Peter se envolveu com a ruiva.
A semelhança entre as personagens são grandes, embora a talentosa Emma Stone
 pareça bem mais velha para fazer o papel de uma adolescente de 17 anos.
A trama é uma mistura: remete aos quadrinhos nos fatos principais, mas não segue os detalhes contados nelas. No filme, Peter não mora sozinho, e não foi lutar para conseguir alguns trocados, como reza as HQs. Tio Ben é morto por um assaltante de rua, após um saque num mercadinho, onde Peter Parker aceito um produto dado pelo bandido. Isso mesmo! Ele aceitou um produto dado pelo ladrão. Em seu romance com Gwen Stacy, acontece a revelação sobre sua identidade secreta, bem diferente dos quadrinhos onde a loira é morta pelo Duende Verde sem saber que seu namorado é o homem aranha. 

Denis Leary deu vida ao Capitão Stacy, autoridade
policial de Nova Iorque e pai de Gwen Stacy.

O Capitão Stacy não morre sobre escombros, tentando salvar um garoto numa luta do Aranha com o Dr. Octopus e sim atingido pelo Lagarto, lutando bravamente no alto de um prédio, contra   o vilão com uma escopeta calibre 12, ganhando tempo para que o herói consiga espalhar uma nuvem de antidoto, sobre a cidade, livrando o povo de Nova Iorque de uma infecção espalhada pela abominável aberração. No filme ele descobre  o segredo de Peter momentos antes de sua morte, mas na revista ele morre nos braços do Aranha dizendo que sabe toda a verdade da identidade secreta dele. 

Outro fato curioso, não contado nas primeiras revistas do aracnídeo é a aparição dos pais de Peter e sua ligação com o doutor Curt Connors, desta vez mostrada no cinema. Segundo o filme, Peter criou o Lagarto quando resolveu uma equação que seu pai trabalhava no passado (o jovem encontra uma maleta com arquivos secretos de seu pai), e o pai de Peter 'o transformou' no homem-aranha, mesmo que indiretamente, pois ele era responsável pelos estudos realizados com aranhas, juntamente com Connors. Peter por sua vez é responsável 'indiretamente' pela morte do Capitão Stacy, pois segundo o filme, ao dar a fórmula ao doutor Curt Connors ele, sem saber, criaria o Lagarto. 

Capa da revista original da morte do Capitão Stacy,
lançada no Brasil, e desenhada por Todd  McFarlane.
As cenas em 3D do filme são sensacionais e são usadas para deixar qualquer um fascinado com o uso da tecnologia: o espectador consegue se assustar e podem-se ouvir, a toda hora, vários comentários das pessoas elogiando os efeitos. O Homem Aranha em 3D é simplesmente ver e participar do filme. O Lagarto estava perfeito e também surpreendeu e deixou muitos boquiabertos. Os movimentos estavam bem sincronizados e a maquiagem estava perfeita. Os edifícios e o cenário à noite configuram um espetáculo à parte e fascina pela grande quantidade de luzes em contraste com os protagonistas e as cenas do filme.

Cena do filme com o sensacional personagem 'Lagarto'.
O filme remete muito mais ao mundo dos quadrinhos e deixa os antigos fãs na expectativa de uma continuação cronológica no próximo filme, retratando a vida de Peter Parker adolescente e com problemas comuns e humanos, e de um aracnídeo piadista e brincalhão, fatos que foram responsáveis pela grande explosão de sucesso do herói criado por Steve Ditko e Stan Lee.