Marvel Comics Usará Realidade Aumentada nos Quadrinhos

Editora vai fazer HQs com realidade aumentada e outros recursos digitais



A iniciativa dos Infinite Comics - sobre a qual a Marvel Comics vinha dando indiretas há alguns dias - foi explicada durante o Festival SXSW Interactive, do qual a editora participou na semana passada. São duas novidades: os Infinite e o que a editora chama de Marvel AR.

Os "quadrinhos infinitos" serão publicações exclusivamente digitais que exploram possibilidades que não existem no impresso - alguns toques de animação e de interatividade na leitura que, segundo o chief creative officer Joe Quesada, não vão descaracterizar a linguagem de HQ. A primeira aplicação será uma história do Nova, por Mark Waid e Stuart Immonen, que se integra a Vingadores vs. X-Men #1. Outros dois "infinite comics" serão lançados ao longo da grande saga Marvel do ano.

Em entrevista ao Comic Book Resources, Quesada diz que a referência para estas HQs digitais é o trabalho do francês Yves "Balak" Bigelal, que demonstrou há três anos, em webcomic, sua teoria sobre como os quadrinhos podem incorporar animação e outros recursos sem perder a linguagem típica de quadrinhos. Balak está inclusive colaborando com Mark Waid na segunda 'infinite comic' da editora.

Já o Marvel AR é um recurso que será exclusivo dos quadrinhos impressos: é a realidade aumentada, tecnologia que vem sendo popularizada pela publicidade nos últimos anos. A Marvel vai lançar um aplicativo (para iOs e Android) e incluir códigos em algumas revistas para que os leitores possam ver conteúdo exclusivo ao posicionar uma capa ou página diante de webcam.

No vídeo abaixo você pode ver a demonstração no SXSW. Vingadores vs. X-Men #1 será a primeira revista Marvel AR da editora, com uma capa que, vista pelo aplicativo, mostrará a recapitulação da história. Páginas internas da HQ também podem ter conteúdo extra diante do app, como o processo de produção desde o lápis até balões e cores.



00:08
00:59





Não são todas as HQs da editora que usarão este recurso, e nem em todas as páginas das que saírem com o selinho "Marvel AR". Quesada diz que a Marvel ainda está explorando o que pode fazer tanto com este recurso quanto com os Infinite Comics. De qualquer forma, as novidades dão um novo passo na discussão sobre os quadrinhos digitais versus impressos, assim como também fazem reação à pirataria de HQs. Vinda de uma das maiores editoras dos EUA, é um passo importante.