50 Cent - A história

Todo mês farei um post em homenagen a um musico ou banda pop falando sobre sua história e carreira. Todos nós curtimos música e se você quiser solicitar, dar idéia ou sugestões podem deixar seu pedido nos comentários. Faremos uma enquete e decidiremos qual artista musical terá a homenagen do mês seguinte. As postagens não estarão vinculadas as paradas de sucessos atuais e sim nos grandes nomes da musica pop mundial.

E pra começar, o homenageado deste mês é o rapper e ator estadudinense 50 Cent. Sua história de vida e sucesso são repletas de tristezas e alegrias e até se transformou em filme. 

50 CENT


Curtis James Jackson III, mais conhecido pelo seu nome artístico 50 Cent (South Jamaica, 6 de julho de 1975), é um rapper e ator estadunidense. Ele chegou à fama com o lançamento dos álbuns 'Get Rich or Die Tryin' (2003) e The Massacre (2005). Get Rich or Die Tryin' obteve a certificação de platina seis vezes pela RIAA e vendeu cerca de 13 milhões de cópias em todo o mundo. Seu disco The Massacre foi certificado cinco vezes pela RIAA e vendeu 11 milhões de cópias. Os seus quatro álbuns somaram 28 milhões de cópias vendidas.

Nascido em South Jamaica, Queens, Jackson iniciou no tráfico de drogas com doze anos, durante a epidemia do crack da década de 1980. Depois de deixar o tráfico de drogas para começar uma carreira no rap, ele foi baleado por nove tiros durante um incidente em 2000. Após o lançamento do álbum Guess Who's Back?, Jackson foi descoberto pelo rapper Eminem e assinou contrato com a Interscope Records. Com ajuda de Eminem e de Dr. Dre, que produziu o seu primeiro maior sucesso comercial, 50 Cent tornou-se um dos rappers com mais vendas no planeta. Em 2003, fundou a G-Unit Records, com seus parceiros do grupo G-Unit: Tony Yayo, Young Buck e Lloyd Banks.

50 Cent envolveu-se em várias brigas e discussões com outros rappers, incluindo Ja Rule, Fat Joe, Jadakiss, Cam'ron, Rick Ross e os ex-membros do G-Unit The Game e Young Buck. Ele também prosseguiu na carreira de ator, atuando no filme semi-autobiográfico Fique Rico ou Morra Tentando, em 2005, A Volta dos Bravos, em 2006, e As Duas Faces da Lei, em 2008. Nesse ano, sua fortuna foi acrescida em $150 milhões de dólares, o que faz ele ser considerado o rapper mais bem-sucedido financeiramente daquele ano. Em 2009, 50 Cent foi escolhido como o sexto melhor artista da década e o sexto mais bem-sucedido entre 2000-2009 pela revista estadunidense Billboard. A Billboard também o nomeou como o melhor cantor de rap deste período. Abaixo, você pode assistir o filme "Fique rico ou morra tentando" completo.




Infância e juventude

Curtis Jackson III cresceu no bairro de South Jamaica, Queens, na cidade de Nova Iorque, sem a presença do pai e somente com a companhia de sua mãe, Sabrina, que era traficante de cocaína na região. Ela deu à luz Curtis com apenas quinze anos e acabou falecendo em 1988, quando ele estava com a idade de doze anos. Sabrina ficou inconsciente após colocarem drogas em sua bebida, e teve o gás de seu apartamento ligado e as janelas fechadas.Após seu falecimento, Curtis foi levado para morar na casa dos avós junto com outros oito tios e tias. Ele relembra: "Minha avó me disse: 'Sua mãe não virá para casa. Ela não irá voltar para buscá-lo. Você vai ficar com a gente agora.' A partir deste momento eu comecei a me adaptar um pouco mais com as ruas."

Jackson começou a lutar boxe por volta dos onze anos. Aos quatorze, um vizinho abriu uma academia de boxe para as crianças e adolescentes da localidade. "Quando eu não estava matando tempo na escola, estava lutando no ginásio ou vendendo crack na esquina", afirma. Em meados da década de 1980, ele competiu nas Olimpíadas Júnior como um pugilista amador. Ele relata: "Eu era competitivo no ringue, e o hip hop também é competitivo demais… Acho que os rappers em si tem um pouco de boxeadores, pois todos eles querem sentir como é ser campeão. "Com doze anos, Jackson começou a participar do tráfico de narcóticos enquanto seus avós pensavam que ele estava em um programa da escola. Ele levava o dinheiro das vendas e também armas para a escola. No décimo grau, foi pego em um detector de metal na Andrew Jackson High School. Declarou, mais tarde: "Eu estava envergonhado pois fui preso assim… Depois que eu fui preso, parei de esconder. Eu falava abertamente para a minha avó 'Eu vou vender drogas'."



Em 29 de junho de 1994, Jackson foi preso por ajudar a vender quatro frascos de cocaína a um policial disfarçado. Ele foi detido novamente três semanas depois, quando a polícia vasculhou sua residência e encontrou heroína, pedras de crack e uma arma de partida. Ele foi sentenciado de três a nove anos de prisão, mas serviu seis meses em um acampamento policial e foi liberado. Jackson afirma que nunca fez uso da cocaína, somente a vendeu. Adotou o apelido de "50 Cent" como referência a Kelvin Martin, um assaltante do Brooklyn também conhecido pela alcunha de 50 Cent. Jackson escolheu este nome "porque ele diz tudo que eu quero dizer. Eu sou o mesmo tipo de pessoa que 50 Cent foi. Eu providencio para mim tudo o que necessito."

1996:2000 - Início da carreira


Jackson começou a cantar rap no porão de um amigo que usava turntables para gravar músicas instrumentais. Em 1996, um amigo o apresentou a Jam Master Jay, DJ do Run-D.M.C., o qual estava organizando sua gravadora, a Jam Master Jay Records. A primeira aparição oficial de Jackson no meio da música foi na canção React, com o grupo Onyx, no álbum Shut 'Em Down, de 1998. Ele creditou Jay como a principal influência para escrever bons raps. Jay produziu o primeiro álbum de 50 Cent, que no entanto nunca foi lançado. Em 1999, após sair da Jam Master Jay Records, produtores destacados no ramo musical o convidaram para fazer parte da Columbia Records. Eles o colocaram em um estúdio no noroeste de Nova Iorque, onde Jackson gravou trinta e seis músicas em duas semanas. Oito delas foram incluídas no seu não-oficial álbum Power of the Dollar, lançado em 2000. Ele começou a agora extinta gravadora Hollow Point Entertainment com seu amigo de G-Unit, Bang 'Em Smurf.


A popularidade de Jackson começou a aumentar consideravelmente após o lançamento de seu primeiro single, How to Rob, o qual escreveu em meia hora enquanto se dirigia ao estúdio. A música explica comicamente como roubar os famosos. Os rappers Jay-Z, Kurupt, Sticky Fingaz, Big Pun, DMX, Wyclef Jean e o Wu-Tang Clan responderam a canção e Nas recebeu ela positivamente, convidando Jackson a participar de sua turnê promocional do álbum Nastradamus. O single foi programado para ser lançado junto com Thug Love, do grupo Destiny's Child, mas dois dias antes dele gravar o videoclipe de "Thug Love" acabou sendo baleado e foi internado no hospital devido aos ferimentos.


2000-2001: Tiroteio

Em 24 de abril de 2000, Jackson foi atacado por um pistoleiro, acusado de ser Darryl "Hommo" Baum, na casa antiga de seus avôs em South Jamaica. Ele entrou no carro de um amigo, mas voltou a residência para pegar uma joia. Seu filho estava dentro de casa enquanto sua avó estava no quintal da frente. Após voltar para o banco de trás do carro, outro veículo parou perto. Um assaltante, em seguida, caminhou até o lado esquerdo de Jackson com uma pistola 9mm e disparou nove tiros á queima-roupa. Ele foi acertado por todos os tiros: um na mão, um no braço, um no quadril, um em cada perna, um no tórax e outro na bochecha esquerda. O tiro no rosto resultou em uma língua inchada, a perda de um dos sisos e uma pequena mudança na voz de 50 Cent. O seu amigo também foi atingido com uma bala na mão; ambos foram levados ao hospital onde Jackson passou treze dias. Baum, o alegado atirador, foi assassinado três semanas depois. Baum era amigo e guarda-costas do lutador Mike Tyson.

50 Cent lembrou do incidente, dizendo: "Isso acontece tão rápido que você não tem sequer chance de atirar de volta… Eu estava com medo o tempo inteiro e olhava no retrovisor e falava 'Merda, alguém atirou na minha cara!'. Usou um andador durante as primeiras seis semanas, e após cinco meses já estava totalmente recuperado. Quando saiu do hospital, foi com sua então namorada e seu filho para as montanhas de Poconos. O regime e exercícios realizados por 50 Cent lhe fizeram recuperar o físico muscular.


Vida pessoal 


Em 13 de outubro de 1997, a então namorada de Jackson Shaniqua Tompkins deu à luz seu primeiro filho, Marquise Jackson. O nascimento do filho de Jackson mudou toda a sua vida, conforme ele mesmo declarou: "quando meu filho entrou na minha vida, minhas prioridades mudaram, porque eu queria ter o relacionamento com ele que eu não tive com meu pai". Ele credita seu filho como o inspirador para prosseguir na carreira do rap, e é uma motivação "para entrar em uma direção diferente". 

Vivica A. Fox, namorou 50 Cent



Tompkins mais tarde processou 50 Cent no valor de US$ 50 milhões alegando que ele disse que iria cuidar da sua vida. O processo, que incluía quinze reivindicações de Shaniqua, foi posteriormente indeferido pelo juiz, o qual alegou que esta era "um conto infeliz de um relacionamento amargo e azedo". Em fevereiro de 2009, o pedido foi cancelado por ser considerado uma apelação.

Jackson possui uma tatuagem de "Marquise" com um machado no seu bíceps direito. Ele explica: "O machado é porque eu sou um guerreiro. No entanto, eu não quero que ele seja um". Ele ainda possui outras tatuagens, com o texto de "50", "Southside" e "Cold World" em suas costas, porque "eu me considero um produto deste lugar. Está nas minhas costas, portanto, isso tudo está atrás de mim". 50 Cent teve um caso em 2003 com a atriz Vivica A. Fox. Depois de alguns meses, ele anunciou sua separação quando imagens de um ensaio fotográfico que ela fez para a revista "Today's Black Woman" foram feitas sem conhecimento de Jackson.

Em 2005, 50 Cent manifestou apoio ao presidente George W. Bush, que havia sido criticado pelo também rapper Kanye West pela demora na ajuda as vítimas do Furacão Katrina. Ele alegou que Bush estava certo e que, se pudesse votar, teria dado o voto a ele. Mais tarde, ele afirmou que "Bush tem menos compaixão que metade dos seres humanos. Em todos os meios, eu não tenho nada parecido com o que Bush é". Em 2007, a Forbes reconheceu a riqueza de 50 Cent, colocando-o como o segundo rapper mais rico do mundo, atrás somente de Jay-Z.



Atualmente reside em uma mansão na cidade Farmington, Connecticut, que anteriormente pertencia ao ex-boxeador Mike Tyson. Jackson a colocou em venda no ano de 2007 sob o valor de US$ 18.5 milhões, para morar mais perto de seu filho que reside em Long Island. Em 12 de outubro de 2007, o prefeito de Bridgeport decretou o "Dia de Curtis Jackson - 50 Cent". Ele foi homenageado com a chave da cidade e uma proclamação oficial. Uma das casas que 50 Cent comprou em Nova Iorque por 2.4 milhões de dólares em janeiro de 2007 no centro do processo movido pela sua ex-namorada, pegou fogo em 31 de maio de 2008, enquanto ele estava em Louisiana gravando cenas de um filme.

Em dezembro de 2008, 50 Cent afirmou à imprensa canadense que havia sido afetado pela recessão, perdendo milhões de dólares no mercado de ações. Ele também disse que foi incapaz de vender a sua mansão em Connecticut e adiou Before I Self-Destruct pela crise econômica. Em novembro de 2009, ele ganhou uma ação judicial contra a Taco Bell, que havia criado uma cadeia de fast-food com o seu nome para promover a marca sem a sua devida permissão.

Em dezembro de 2010, 50 Cent foi processado por Tyrone Simmons por violação dos direitos autorais na canção "I Get Money", que apareceu no álbum Curtis.

Ja Rule e Murder Inc.

Antes de assinar com a Interscope, 50 Cent se envolveu em uma rivalidade com Ja Rule e a sua gravadora, Murder Inc., que foi bastante divulgada pelos veículos de mídia dos Estados Unidos. Existem muitas teorias sobre como começou a briga entre os dois rappers. 50 Cent afirmou que tudo começou em 2000, quando um amigo seu furtou um medalhão de Ja Rule. No entanto, Ja Rule alegou que tudo começou porque ele estava gravando um videoclipe no Queens com a participação de seus amigos e era "muito adorado" no bairro. Em março de 2000, enquanto estava gravando no estúdio The Hit Factory em Nova Iorque, 50 Cent foi atacado por três homens que ele disse serem contratados da Murder Inc. Ele foi atacado por diversas punhaladas, tendo ido parar no hospital logo depois. O rapper Black Child, que gravou diversos singles junto a Ja Rule, reivindicou a responsabilidade pelo esfaqueamento, alegando que agiu em legítima defesa pois acreditava que alguém estava armado.

Um depoimento de um agente da IRS sugeriu que a Murder Inc. possuía ligações com Kenneth McGriff, traficante de drogas da região que é suspeito de estar envolvido no assassinato de Jam Master Jay e dos nove tiros recebidos por Jackson. Um dos principais trechos do depoimento é esse:

“ A investigação descobriu uma conspiração envolvendo McGriff e outros traficantes da região para assassinar um artista de rap que lançasse músicas com letras sobre atividades criminosas de McGriff. Este artista de rap, 50 Cent, foi baleado em 2000, sobreviveu e depois se recusou a cooperar com a aplicação da lei sobre o tiroteio. As mensagens transmitidas por um pager da Murder Inc. indicam que McGriff está envolvido em um plano para assassinar 50 Cent, e que ele se comunica com funcionários da Murder Inc. em relação à isto.

A excessiva troca de insultos através de canções de ambas as partes culminou em Ja Rule lançar Blood in My Eye, um álbum que tinha como único objetivo atacar 50 Cent, Eminem e Dr. Dre. Ja Rule, posteriormente tentou encerrar com a rivalidade usando o ministro Louis Farrakhan em uma entrevista televisiva. No entanto, esta tentativa perdeu toda a credibilidade pois foi colocada no ar um dia antes do lançamento de Blood in My Eye. Como resultado, a maioria dos fãs, juntamente com Jackson, considerou isto uma tentativa de publicidade descarada.

Ja Rule posteriormente lançou R.U.L.E., álbum que teve dois singles que alcançaram um sucesso considerável, "Wonderful" e, "New York", com a participação especial de Jadakiss e Fat Joe, onde ele ameaça atirar em 50 Cent caso ele lhe difamar. O single foi feito para reviver a disputa entre os dois renomados rappers, mas Eminem lançou uma canção chamada "Like Toy Soldiers", onde ele explana suas recentes rivalidades com os artistas Ja Rule e Benzino, e sugere uma trégua para elas. Mas no ano seguinte, em 2005, a briga ressurge com uma afirmação de Ja Rule: "50 Cent é uma farsa e não vai durar". Um amigo de Eminem estava provocando Rule em uma boate e este acabou lhe desferindo um soco, e foi indenizado em US$ 1.2 mil.

A discussão continuou com provocações esporádicas de ambos os rappers, mas em 2009 Ja Rule elogiou 50 Cent e Eminem, sugerindo um final para esta rivalidade, que já havia sendo considerada "infantil" pelos fãs dos dois

Rappers de Nova Iorque


Antes de lançar o álbum The Massacre, 50 Cent gravou a canção "Piggy Bank", uma resposta à canção "New York", de Ja Rule, que vazou na internet antes do lançamento do álbum. Nesta canção, 50 Cent atacou os rappers nova-iorquinos Fat Joe, Nas e Jadakiss. Joe respondeu a música com "My Fofo", onde ele acusou Jackson de utilizar esteroides, esconder-se em sua casa e ter ciúmes de Game. Jadakiss também respondeu com a canção "Checkmate", onde ele acusou 50 Cent de criar um rumor para promover seu novo álbum

O videoclipe de "Piggy Bank" retrata caricaturas animadas de Jadakiss (como uma Tartaruga Ninja), Fat Joe (como um lutador peso-pesado de boxe que é nocauteado), Nas (como uma criança que persegue um caminhão de milkshake vestido de Super-Homem) e The Game (como Mr. Potato Head). 
Jackson também falou negativamente de Sean "Diddy" Combs, magnata da Bad Boy Entertainment e gravou uma música, "Hip Hop", onde ele revela o motivo dos seus sentimentos negativos: em primeiro lugar, uma disputa sobre o contrato de Mase. Na canção, ele deixou implícito que Diddy sabia sobre o assassinato de Notorious BIG e ameaçou denunciá-lo através de ex-associados. A rivalidade foi resolvida, com ambos os rappers aparecendo nos programas Total Request Live e Sucker Free, da MTV, onde não foi constatado um problema maior.

Em fevereiro de 2007, 50 Cent e Cam'ron tiveram uma discussão ao vivo no programa The Angie Martinez Show da emissora de rádio Hot 97. 50 Cent comentou que a Koch Entertainment era um "cemitério", sendo que as maiores gravadoras não trabalhavam com os artistas que passavam por lá. Cam'ron, por sua vez, ridicularizou o recorde de vendas de Lloyd Banks e Mobb Deep, ambos da G-Unit, afirmando que Jim Jones, seu companheiro no grupo The Diplomats, vendia os discos para outras gravadoras. Ambos os cantores lançaram canções no estilo "diss" com videoclipes no YouTube. 50 Cent sugeriu em "Funeral Music" que Cam'ron não é capaz de liderar o The Diplomats e que Jim Jones deveria tomar o seu lugar. Cam'ron respondeu com "Curtis" e "Curtis Pt. II", onde ele faz zombaria da pessoa e da aparência de 50 Cent, chamando-o de "um gorila com dentes de coelho". Para finalizar, 50 Cent lançou "Hold On" com Young Buck.


The Game 

50 Cent começou uma rivalidade com o rapper The Game - com quem ele trabalhava junto - após o lançamento do álbum The Documentary. 50 Cent achou que Game foi desleal, pois ele não participava das brigas do G-Unit com outros rappers, e ainda queria trabalhar com os inimigos do grupo. Ele também alegou que escreveu seis das dezoito músicas e não recebeu o devido crédito, afirmação negada por Game.
  

Mais tarde, 50 Cent demitiu Game (foto) do G-Unit ao vivo na emissora de rádio Hot 97. Após este anúncio, Game, que havia sido convidado para entrar em um edifício no início da noite junto com os seus guarda-costas teve a entrada negada.

Um dos sócios de Game acabou sendo baleado na perna durante um confronto com um grupo de homens que estava saindo do prédio. Quando a situação se aliviou, ambos os rappers convocaram uma conferência de imprensa para anunciar a sua reconciliação. Os fãs desconfiaram se isto não era apenas mais uma jogada de marketing para impulsionar o lançamento dos álbuns dos dois músicos.

Mesmo após a situação ser praticamente esquecida, o G-Unit criticou as atitudes de Game e anunciou que não iria mais participar nos próximos álbuns que ele lançasse. Durante uma performance em um evento de hip hop, Game lançou um boicote do G-Unit chamado "G-Unot". Após esta atuação, Game ainda lançou "300 Bars and Runnin'", uma faixa "diss" atacando o G-Unit e membros da Roc-A-Fella Records, em sua mixtape You Know What It Is Vol. 3. 50 Cent respondeu com um videoclipe de "Piggy Bank", onde ele mostra Game como Mr. Potato Head e ironiza outros rivais seus. Desde então, ambos os rappers continuam atacando um ao outro.
Em outubro de 2006, The Game sugeriu à 50 Cent selar as pazes, fato que não obteve resposta. No entanto, alguns dias mais tarde, na emissora de rádio Power 106, ele afirmou que isto valia somente para aquele dia. No próximo álbum de Game, Doctor's Advocate, em algumas faixas ele deixou claro que a disputa com o G-Unit ainda persiste. Em julho de 2009, The Game afirmou que a rivalidade foi encerrada com a ajuda de Michael Jackson e Diddy, e pediu desculpas pelas suas ações durante a briga. Tony Yayo, também membro do G-Unit, disse que nem 50 Cent nem o grupo aceitaria seu pedido. Desde então, The Game continuou com a antiga paródia "G-Unot" nas suas atuações ao vivo. 50 Cent lançou "So Disrespectful" no seu álbum Before I Self Destruct, outra canção no estilo "diss", onde ele ataca Game, Jay-Z e Young Buck.


Rick Ross

Em janeiro de 2009, Rick Ross iniciou uma rivalidade com 50 Cent, porque este supostamente olhou de forma mal-encarada para ele durante o BET Awards. No entanto, Jackson afirmou que não se lembra de ter visto Ross no evento. No final deste mês, vazou na internet a canção "Mafia Music", de Rick Ross, a qual possuia vários trechos que difamavam 50 Cent. Poucos dias depois, houve a resposta, com a canção "Officer Ricky (Go Head, Try Me)" de Jackson. No dia seguinte, Ross apareceu na rádio Shade 45, do rapper Eminem, e afirmou que em 48 horas apareceria com uma canção melhor.

Antes de ir para a Venezuela, 50 Cent gravou um videoclipe intitulado "Warning Shot", onde ele avisa Ross: "Eu estou fodendo com sua vida só por diversão". Em adição, ele começou a produzir diversos quadrinhos sobre a canção "Officer Ricky". No inicio de fevereiro, 50 Cent enviou mais um vídeo para o YouTube onde ele entrevista "Tia", a mãe de um dos filhos de Ross. Ela concorda com as palavras de 50 Cent e afirma que "Rick é falso e fraudulento". Em 5 de fevereiro, Game, com quem 50 Cent possui uma longa rivalidade, foi entrevistado na Seattle's KUBE 93 Radio Station. Quando perguntado sobre a briga entre 50 e Ross, ele afirmou que a situação não estava boa para o lado de Rick, mas que estaria disposto a ajudá-lo.

No seu álbum Deeper Than Rap, Rick Ross faz outra referência à Jackson, desta vez na canção "In Cold Blood" e de forma mais pesada. O videoclipe da música retrata um funeral de 50 Cent. Após o lançamento do mesmo, Ross afirmou que acabou com a carreira de seu inimigo. Em uma entrevista, 50 Cent o comparou à Albert do filme CB4. Os dois não fizeram as pazes, mas não houve mais provocações de ambos os lados.


Outras rivalidades

Cartaz em protesto ao rapper 50 Cent

Bang 'Em Smurf e 50 Cent foram amigos muito próximos por bastante tempo. Quando Bang 'Em Smurf foi preso por posse indevida de arma de fogo, ele esperava que 50 Cent fosse pagar fiança para tirá-lo da cadeia, mas ele não foi. Bang teve de vender a casa de sua mãe para poder sair de trás das grades.

Quando Smurf foi solto, ele e seu amigo Domination começaram a gravar diversas músicas para insultar 50 Cent. Ele respondeu com "These Niggaz Ain't Hood" e "Don't Go To Sleep".

Depois de ouvir de algumas fontes que Lil' Wayne teria preparado uma música para atacar 50 Cent após este fazer algumas observações fortes sobre a pessoa de Wayne. 50 atacou Wayne pela primeira vez em 17 de agosto de 2007 com a canção "Part Time Lover". Wayne nunca respondeu a esta faixa, apesar de 50 Cent lançar outra faixa neste estilo "diss" sobre Lil, intitulada "Louisianimal", a qual vazou na internet muito mais tarde, em 17 de novembro de 2008. Jackson continuou e lançou em 2009 uma nova música, chamada "Play This On The Radio".

 A rivalidade entre os dois foi encerrada em 14 de agosto de 2009, após 50 Cent ter participado do Lil Wayne's America's Most Wanted Musical Festival em Anaheim, Califórnia, onde apareceu e cantou diversas músicas.

Após inúmeros boatos de uma "rivalidade" dentro do G-Unit, 50 Cent oficialmente demitiu Young Buck do grupo em 2008. Mas mais tarde, ele declarou que Buck ainda estava em contrato com a gravadora. Posteriormente, várias canções caluniosas surgiram na internet de ambos os rappers, sendo que Young Buck apareceu em um videoclipe com seu ex-rival The Game. Ainda, vazou uma conversa telefônica gravada entre Jackson e Buck, que mostrou dois dos verdadeiros motivos para a expulsão do último: a falta de pagamento do salário de Buck e uma dívida que Jackson mantinha com o rapper do sul. Buck mais tarde afirmou que esta conversa foi gravada um ano antes do seu vazamento. 

Os dois músicos lançaram uma infinidade de canções atacando o outro, até que em 2009, Buck declarou que está na produção de um novo álbum, o qual será lançado sob o selo G-Unit Records.

Álbuns do 50 Cent

Álbuns de estúdio

Power of the Dollar (2000, não-lançado)
Guess Who's Back (2002)
Get Rich or Die Tryin' (2003)
The Massacre (2005)
Curtis (2007)
Before I Self Destruct (2009)
50 Cent Fifth Studio Album (2011)
Mixtapes

50 Cent Is the Future (2002)
No Mercy, No Fear (2002)
God's Plan (2002)
Automatic Gunfire (2003)
Sincerely Yours, Southside (2008)
War Angel LP (2009)
Forever King (2009)
The 50th Law of Power (2009)
The Big 10 (2011)

As informações foram tiradas do site Wikipédia. Os vídeos são do site Youtube.