Mauricio de Sousa já foi politicamente incorreto; conheça Nico Demo

Nico Demo

da Livraria da Folha
Texto baseado em informações fornecidas pela editora da obra.




Nico Demo, personagem politicamente incorreto de Mauricio de Sousa, foi censurado na década de 1960. As tirinhas do garoto maligno da Turma da Mônica eram publicadas nas páginas do "Jornal da Tarde".
Quase meio século depois, a editora L&PM resgata essas histórias na coletânea "Nico Demo: Aí vem Encrenca".

Nico Demo, o garoto maligno da Turma da Mônica, já "matou" Charlie Brown e, provavelmente, o Super-Homem. O personagem politicamente incorreto de Mauricio de Sousa foi censurado na década de 1960. Quase meio século depois, a editora L&PM resgata essas tirinhas em "Nico Demo: Aí Vem Encrenca". Abaixo, veja as imagens.


Divulgação 
Charlie Brown, da série "Peanuts" (amendoim, em português) criada
por Charles Schulz, é entregue ao proboscídeo antropofágico

Divulgação 
Nico Demo coloca herói kriptoniano da DC Comics em situação complicada;
 Super-Homem, foge com a Mulher Maravilha

Divulgação

Mauricio de Sousa nasceu em 27 de outubro de 1935, em Santa Isabel (SP). O desenhista, que passou boa parte da infância e da adolescência em Mogi das Cruzes (SP), veio para a capital na década de 1950, período que trabalhou como repórter para o jornal "Folha da Manhã". Em 1959, deixou o jornalismo para se dedicar aos quadrinhos, quando criou Bidu, Franjinha e Capitão Picolé.

Logo sua imaginação deu origem a outros personagens, como Cebolinha, Cascão, Piteco, Chico Bento, Horácio e Penadinho. Mônica só entrou para a turma em 1963. A garota gordinha, dentuça e briguenta foi inspirada em sua própria filha.

Veja algumas imagens extraídas do exemplar.