Blender é uma poderosa ferramenta para modelagem e animação em 3D

Software gratuito tem boa parte dos recursos encontrados em pacotes como o aclamado Maya, mas a interface não é lá muito amigável.


O Blender (grátis em www.blender.org), um software Open Source e extremamente poderoso para animação e modelagem em 3D, é assustador para qualquer um que nunca tenha usado um programa da categoria. Para mim, foi como ter que saber exatamente como meu carro funciona antes que eu pudesse dirigí-lo. Para alguns isso pode ser fácil, mas não é para qualquer um.

Usar o Blender pra desenhar objetos “do zero” pode ser uma tarefa extenuante, especialmente se você estiver tentanto criar algo complexo. A não ser que você seja um expert em Maya, software similar da Autodesk, prepare-se para ler o manual, seguir os tutoriais e fazer muita, MUITA “lição de casa”. Mas como o Blender é gratuito o esforço vale a pena, especialmente se você leva a sério arte e animação em 3D, seja um amador ou profissional, e tem talento e perseverança.

Blender: gratuito e poderoso, mas não muito amigável

Em contraste a qualquer outro software de ilustração em 2D ou modelagem em 3D com o qual estou acostumada (entre eles o Adobe Creative Suite, CorelDRAW, Xara Designer Pro, Poser 9 e outros) o Blender parece favorecer os usuários que também são programadores ou gamers, ao menos os que tem uma “quedinha” para o lado da engenharia.

Um exemplo disso é a forma como o programa incorpora os atalhos de teclado. A maioria dos designers está acostumada a usar botões ou ícones para acessar uma ferramenta, e usa os atalhos de teclado apenas para os itens mais frequentes. Mas o Blender usa o teclado para praticamente tudo. Por exemplo, quando você clica no botão “Scale”, logo descobre que é quase impossível alterar com precisão a escala do objeto selecionado. Mas se usar o atalho de teclado “S” terá controle meticuloso.

Um recurso do Blender que gostaria que outros programas incorporassem é o uso da tecla + nas caixas de díalogo para salvar arquivo. Se o nome de seu arquivo inclui um número, este atalho irá automaticamente incrementá-lo, criando uma “linha do tempo” com arquivos como rascunho1, rascunho2, rascunho3 e por aí vai.

Com o Blender você pode modelar tomando como ponto de partida um objeto básico, como um cone, cubo, cilindro, toróide ou esfera, que pode ser “extrudado” e remodelado. Há truques que ajudam a aperfeiçoar a arte de adicionar texturas e padrões ao seu objeto, mas até mesmo uma simples troca de cor parece desnecessariamente difícil até que você descubra como isso é feito. Felizmente há bons tutoriais online disponíveis, desde que você tenha o tempo e dedicação necessários para seguí-los. Senti falta do sistema de ajuda e tutoriais combusca integrada do 3DCrafter (outro programa gratuito).

Se você é um iniciante e espera que sua ilustração ou animação em 3D esteja pronta (ou pelo menos a caminho) em horas em vez de meses, pode valer a pena gastar os US$ 250 em um software como o Poser 9, ainda mais considerando que junto com o software você está adquirindo 1.7 GB de figuras e formas maleáveis, e nele é muito mais fácil evoluir de um iniciante para um usuário intermediário.

Mas como é possível importar arquivos em formatos como 3DStudio, COLLADA, BVH motion capture, SVG, Stanford (.ply), STL, Wavefront e arquivos x3D para o Blender, e exportar em todos os formatos anteriores (com exceção de SVG) e como arquivos FBX da Autodesk, nada o impede de criar seus personagens e objetos do Poser e importá-los para o Blender para refinar uma animação, ganhando tempo.

Se você é um profissional pagando US$ 3.500 pelo Maya, pode querer dar uma olhada no Blender. Embora o Maya seja mais confortável para muitos artistas, o Blender está evoluindo e ambos tem seus pontos fortes e fracos. Você nunca sabe se na sua próxima entrevista de emprego perguntarão se você conhece o Blender, e se você tem a habilidade e conhecimento, pode fazer com o Blender tudo o que pode fazer com o Maya e outros sofisticados (e caros) programas de animação e modelagem em 3D.


No início o Blender pode parecer difícil, e é ainda mais difícil dominá-lo, mas depois que você chegar lá, poderá criar imagens e animações em 3D na mesma categoria das produzidas por usuários do Maya e 3DStudio. Duvida? Então dê uma olhada em curtas como Elephant’s Dream, Big Buck Bunny e Sintel, todos feitos com o Blender.