Tecnologia 3D facilita a vida de usuários e corta custos em empresas

Antever os problemas numa turbina de hidroelétrica com 15 metros de diâmetro há pouco tempo era algo impossível. Quando um sistema desses apresentava defeito, havia a necessidade de deslocamento de maquinário e pessoas, gerando custos elevados. Hoje, o 3D deu um jeito nisso e consegue construir uma turbina na tela do computador. Mas não pense naquele efeito visual que dá a impressão de que um personagem ou algum objeto vai saltar da tela. A grande estrela aqui são os programas do tipo CAD (Desenho Assistido por Computador, na tradução para o português) e dos que fazem modelagem em três dimensões — como os usados na criação de personagens de desenho animado. Juntos, esse mercado deve movimentar mais de US$ 5 bilhões no mundo, segundo a empresa de pesquisas Jon Peddie.


Três dimensões
Com previsão de movimentar no ano que vem mais de US$ 250 milhões no mundo, o 3D também está no foco das empresas. O uso de softwares para esse fim permite conceber, modelar e testar projetos de móveis, prédios e até mesmo hidroelétricas, por exemplo, além de ajudar a cortar custos. Na indústria automobilística, esses programas são utilizados para substituir parte dos crash-tests — aquelas provas nos quais são colocados bonecos dentro dos carros para simular vários tipos de acidentes.

“O 3D está presente em mais coisas do que a gente imagina. Em medicina, existem cirurgias que são feitas com visualização 3D, com um nível de detalhes muito maior. No mercado publicitário, as propagandas de carro quase não usam modelos reais. O que vemos é o veículo em 3D”, explica Mauricio Fonteles, sócio da escola de audiovisual Ozi.A indústria do entretenimento também é responsável por grande parte do sucesso desses softwares. Segundo os analistas da Jon Peddie, até 2014 o mercado desses aplicativos vai crescer 17,4%, sendo impulsionado pelo aumento das companhias de animação. “O meu contraponto é que os softwares deles não são acessíveis. Deveriam desenvolver um programa livre para quem está começando e quer apenas conhecer. Essa possibilidade é interessante, porque, depois, a pessoa pode partir para um programa pago e mais completo”, afirma Fonteles.

Seja para a criação de fluxos de trabalho baseados em modelos digitais na área da construção, da engenharia, do entretenimento ou da indústria, o 3D oferece oportunidades infinitas de criação. Uma forma acessível de brincar de Deus. (Colaborou Ataide de Almeida Jr.)

Fonte: