Tecnologia 3D ajuda a criar melhores alunos


            Já sabíamos que a tecnologia 3D está a revolucionar a indústria do entretenimento, especialmente no campo das animações infantis, aquilo que não sabíamos era que as apresentações a três dimensões estão igualmente a revolucionar a aprendizagem e o ensino escolar.

O dado mais animador resultante do estudo é que os níveis de concentração dos alunos parecem disparar com o uso do 3D
O dado mais animador resultante do estudo é que os níveis de concentração dos alunos parecem disparar com o uso do 3D (PÚBLICO)
Um estudo recente levado a cabo por investigadores da International Research Agency para a empresa tecnológica Texas Instruments e conduzida em sete escolas europeias (França, Alemanha, Itália, Holanda, Turquia, Reino Unido e Suécia), junto de 740 alunos que usam a técnica 3D nas suas aulas, concluiu que os alunos registram uma melhoria de 17% nos seus testes graças a este método de ensino.
Cada vez mais escolas estão a usar projectores 3D para explicar assuntos complexos - como por exemplo o sistema respiratório ou o funcionamento das células, fazendo com que os alunos fiquem mais atentos e, por isso, percebam melhor. Paralelamente, indica a BBC, os alunos mais tímidos também parecem ficar mais à vontade quando é usada esta tecnologia nas aulas e, por isso, participam mais.

A projeção de imagens 3D nas aulas implica que todos os alunos e o professor usem óculos especiais e como estes recursos são dispendiosos ainda são poucas as escolas a usar esta técnica, embora o fenômeno esteja em expansão.

Os autores do estudo testaram os alunos antes e depois das aulas, usando um grupo de controlo que foi exposto à matéria apenas com recurso aos métodos tradicionais. “Em média, 86 por cento dos alunos das aulas em 3D melhoraram os resultados dos seus testes, comparando com os 52 por cento dos alunos que foram ensinados com os métodos de ensino tradicionais”.

O dado mais animador resultante do estudo é que os níveis de concentração parecem disparar com o uso do 3D. Estes situam-se nos 92% durante estas aulas, ao passo que baixam para 46% em ambientes de ensino tradicional.

“[Este método] cativa a atenção dos alunos e isso continua para além do episódio em 3D; parece despertar um interesse com a aprendizagem que se mantém durante o resto da aula”, indicou a professora que coordenou o estudo, Anne Bamford.


Fonte: